Senai-DF capacita 60 costureiras e artesãs

Mulheres humildes, de trejeitos simples, vivenciaram momentos de extrema emoção na tarde de 9 de novembro, no Senai Taguatinga. Entre elas, Dona Doralice Rodrigues, que escolheu a dedos o modelo que vestiu durante a ocasião. Afinal, o momento exigia. É que, pela primeira vez, em seus 43 anos de vida, D. Doralice entrou em uma escola não para buscar seus filhos, mas para obter um diploma de curso de qualificação profissional do Senai-DF. Para tanto, a trajetória começou há quatro meses, quando a simples costureira – ainda sem nenhum tipo de capacitação, se não a da própria vida – foi selecionada para participar do curso de Corte e Costura Industrial, oferecido pela entidade, em convênio com a Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) e pelo Movimento Integrado de Saúde Comunitária do DF.

De lá pra cá, a costureira, que trabalha há oito anos no ofício, vivenciou o ambiente estudantil, fez amizades e agora é só alegria. “Com um diploma do Senai em mãos, agora posso alçar voos maiores”, antecipa-se. Assim como Doralice, outras 59 mulheres fizeram parte da capacitação. As aulas foram ministradas por professores do Senai-DF, na unidade em Taguatinga, e no Instituto Cultural, Educacional e Profissionalizante de Pessoas com Deficiência do Brasil (ICEP), que cedeu o local no SIA e as máquinas de costura. O evento contou um desfile de roupas e artesanatos produzidos pelas alunas. Com o término das quatro turmas, a unidade se prepara para a oferta de mais uma turma neste ano, ainda como parte integrante do convênio.

A iniciativa é da ONG Paranoarte que, desde 2006, oferece uma série de trabalhos de capacitação para artesãs, costureiras e população no geral. Segundo o presidente da ONG, Valdir Souto, a ideia de capacitar artesãs em cursos de corte e costura começou há dois anos. “Só o artesanato não é suficiente para vender. Era preciso mais. Por isso, verificamos que muito de nossas peças necessitavam diretamente da costura. Procuramos, então, parceria com o melhor curso de costura da cidade, que neste caso é o Senai”, diz. Com a captação de recursos oriundos de fundos e com o apoio do deputado Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) e do atual secretário de inclusão social do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Joe Valle, presentes no evento, o objetivo tornou-se realidade. Na ocasião, Rollemberg elogiou o trabalho da Paranoarte e lembrou da importância da capacitação profissional. Terminada essa etapa, as ações da ONG continuarão a privilegiar a capacitação, além de oficinas para grupos específicos e terapia comunitária.

Animada com a conclusão do curso, a dona de casa Catarina Zancanaro enfrentou o trânsito diário do Guará, onde mora, para o Senai Taguatinga, durante os quatro meses de vigência das aulas. Costureira amadora há mais de 30 anos, ela agora se vê diante do conhecimento. “Pra mim, foi mais que um aperfeiçoamento. Coisas que eu demorava horas fazendo, com as novas técnicas que aprendi consigo produzir em menos tempo, o que aumenta a minha produtividade”, diz Catarina. Para ela, a maior conquista, no entanto, é o olhar crítico. “Agora posso olhar uma revista de moda, por exemplo, e interpretar com outros olhos”, contou, feliz da vida.

Elton Pacheco
Jornalista
Sistema Federação das Indústrias do DF
61 3362-3883 / 8431-0335

Foto: Daniella Bizerra/BG Press