• 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18

Construção civil começa ano sem grandes avanços

Pesquisa realizada pela Fibra em parceria com a CNI e o Sinduscon-DF indica que a atividade na Indústria da Construção no DF teve provável queda em janeiro. No primeiro mês do ano, o indicador de nível de atividade comparado ao mês anterior situou-se em 39,8 pontos, resultado abaixo da linha divisória dos 50 pontos. Cabe destacar que esse é o mais baixo resultado observado em toda a série histórica do indicador, iniciada em 2009. Já o indicador do nível de atividade em relação ao usual situou-se em 47,1 pontos, resultado que persiste, desde maio de 2010, abaixo da linha divisória. O provável cenário de queda é corroborado pela redução do contingente de empregados. Em janeiro, o indicador de número de empregados situou-se em 48,5 pontos. 

Entretanto, apesar do indicativo de queda no nível de atividade, os empresários do setor continuam demonstrando otimismo com relação aos próximos seis meses. Os indicadores de expectativas do nível de atividade, novos empreendimentos e serviços, compras de insumos e matérias-primas e empregados cresceram, situando-se em torno dos 60 pontos. Isso mostra que o otimismo do setor se tornou mais disseminado entre os entrevistados.


“Os dados apontados pela pesquisa mostram um cenário de início de ano. Nosso mercado está acomodado, mas com a proximidade de grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, esta queda tende a ser minimizada. A estimativa é que surjam 15 mil novas vagas de emprego na Construção Civil do DF”, avalia o presidente do Sinduscon-DF, Júlio Cesar Peres.

Texto: Patrick Selvatti

Pesquisa

Banner de Adesão - SELO FIBRA

Banner adesao 271x170px

Banner downloads 271x170px