Notícias

Rota Global é finalista em premiação da Câmara de Comércio Internacional

Com 20 anos de experiência no mercado de calçados brasiliense, Vanessa Ribeiro (foto), de 44 anos, acaba de vender a empresa Calce Perfeito e se prepara para colocar em prática o que aprendeu no Rota Global. O programa de iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) é executado pela Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN). Em Brasília, é desenvolvido pela Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra).

Calce Perfeito Vanessa Ribeiro FotoMoacirEvangelista22052019 3De mudança para o Canadá, Vanessa pretende montar lá a marca B-comfy e vender os calçados a outros países. A participação no Rota Global a ajudou a desmistificar sua visão sobre fazer negócios internacionais. “Ampliou o meu leque de atuação e abriu novos horizontes, pois hoje não tenho medo de arriscar. Aprendi qual a maneira correta de negociar e de diagnosticar se uma proposta é lucrativa ou não”, afirma. A experiência começou em 2017 e durou um ano. Depois de participar, Vanessa chegou a vender a uma empresa nigeriana.

No DF, desde 2017, 10 empresas passaram pelo Rota Global. Todas receberam planos internacionais de negócios, de acordo com o perfil e as necessidades do empreendimento e o potencial do produto para exportação. Além de um diagnóstico do negócio, o plano é composto por um passo a passo para entrar no mercado externo, um estudo de possíveis países parceiros e uma análise econômica, política, tributária e cultural desses países. “O programa deu orientação sobre as oportunidades e os riscos, além de apresentar pesquisas e a maneira de formular preços”, explica a gerente do CIN-DF, Viviane Brunelly. “Para pequenos negócios, o projeto é fundamental, pois muitos não têm estrutura e recursos para estruturar um plano de ação internacional.”

Reconhecimento

O Rota Global está entre os finalistas da 11ª edição do World Chambers Competition, premiação da Câmara de Comércio Internacional às melhores práticas de apoio empresarial. Em 2018, o modelo do programa foi transferido ao governo federal, que o utilizará no Plano Nacional de Cultura Exportadora (PNCE).

O programa disputa a categoria Pequenas e Médias Empresas e Desenvolvimento do Empreendedorismo e concorre com iniciativas do Afeganistão, do Egito, do Equador e da Turquia. Foi selecionado entre 73 projetos de 29 países. Os vencedores serão conhecidos em 13 de junho, no Rio de Janeiro.

Texto: Dayane dos Santos, com informações da Agência de Notícias da CNI
Foto: Moacir Evangelista/Sistema Fibra
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

Pesquisa

banner indicadores

epilepsia fibra

banner pro site catalogo