Projeto da Lego of Olympus é reconhecido como solução inovadora

torneio nacional curitiba equipes sesi sistema fibra

[ATUALIZAÇÃO: 28/03] Diferente do que informamos anteriormente, o Global Innovation é organizado pela First Lego League (FLL) e não apenas pela First.

A equipe Lego of Olympus, do Serviço Social da Indústria (Sesi) do Gama, foi considerada a mais inovadora entre as 83 que disputaram o Torneio Nacional de Robótica First Lego League (FLL), encerrado neste domingo (18). A cerimônia de premiação foi no Centro de Exposições Horácio Coimbra, no Campus da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep).

Com um sistema que evita irrigações desnecessárias, o grupo levou o primeiro lugar na categoria Solução Inovadora e ficou em 17º na classificação geral. Será uma das equipes suplentes do Brasil na fase internacional, assim como a Legofield, integrada por estudantes da mesma escola, que ficou na 18ª posição. Esta conquistou o segundo lugar na categoria Inspiração e apresentou o projeto de um sistema de registro eletrônico para reduzir o consumo de água nas residências.

Nesta temporada do torneio, os jovens tiveram de encontrar soluções relacionadas ao uso da água. Sete equipes do Sesi-DF participaram da etapa regional e quatro seguiram para a nacional. Além das duas citadas, representou o Sesi Gama a estreante Megazord, que ficou em 54º na classificação geral. A Albatroid, do Sesi Taguatinga, também integrou a delegação brasiliense e ficou com o 26º lugar.

As quatro equipes retornam a Brasília nesta segunda-feira (19) e já têm compromisso: vão apresentar seus projetos na Vila Cidadã do 8º Fórum Mundial da Água

A coordenadora da Educação do Sesi-DF, Cláudia Rocha, celebrou a participação no torneio nacional. “A robótica tem se mostrada um diferencial na vida dos alunos do Sesi-DF. Aqui eles ganham mais que prêmios: têm a possibilidade de sonhar e de conquistar bons resultados na vida pessoal, nos vestibulares e no mercado.”

Prêmio Global Innovation

Muito elogiado por juízes e competidores, o projeto da Lego of Olympus será um dos representantes brasileiros no prêmio, ao lado das ideias das equipes Fênix, Tecnoway e Lego Justiça do Planalto. Realizado pela FLL, uma união da organização estadunidense First (For Inspiration and Recognition of Science and Technology, que significa “em prol da inspiração e do reconhecimento da ciência e da tecnologia”), em parceria com a Lego, reúne quase 200 equipes de todo o mundo. As 20 mais bem avaliadas vão participar da cerimônia de premiação, na Califórnia (EUA). A melhor solução inovadora mundial vai ganhar 20 mil dólares. O segundo e o terceiro lugares receberão 5 mil dólares cada um.

A equipe do Sesi Gama vibrou muito pelo resultado. “Foram os três dias mais emocionantes da minha vida. É muito satisfatório ter nosso trabalho reconhecido”, afirmou, emocionado, o competidor Gabriel Vieira. O técnico Kléber Carvalho ressaltou o trabalho em equipe e a união nos sete meses até a apresentação do projeto no torneio nacional. “O sistema completo é inovador e adequado à nossa realidade. Os resultados foram significativos e marcaram a vida de todos nós.”

O desempenho da Lego of Olympus foi comemorado pelas demais equipes. “Sem dúvidas, é o melhor projeto. Eles mereceram o reconhecimento”, disse a competidora da Albatroid Maria Rita Lima. “Estamos todos torcendo por eles. Além do projeto inovador, é uma equipe inspiradora”, afirma o mentor da Legofield, Kévin da Silva.

O projeto que ganhou destaque pela inovação consiste em um sistema de irrigação por método automático. O aparelho mede a umidade do solo para evitar que o agricultor faça irrigações desnecessárias. Com a ajuda de um hardware livre, um sensor detecta a umidade e envia informações sobre a necessidade de irrigar o solo.

A diretora escolar do Sesi Gama, Elisângela Machado, acompanhou o processo de criação dos projetos das equipes e se disse impressionada com a Lego of Olympus. “Eles pensaram em uma solução para o campo, que depende bastante da água”, destacou. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), 72% da água disponível para consumo no Brasil é destinada à agricultura. A área irrigável é de aproximadamente 29,6 milhões de hectares, superior à do Rio Grande do Sul.

A solução da equipe também chamou a atenção do público, inclusive do astronauta brasileiro Marcos Pontes, que visitou o estande neste domingo antes de uma palestra aos competidores.

Champion’s Award

A Thunderbóticos, do Sesi de Rio Claro (SP), ficou em primeiro lugar geral entre as 83 equipes que competiram no Torneio Nacional FLL, organizado pelo Sesi.

A equipe Jedi’s, do Sesi de Jundiaí (SP), conquistou o segundo lugar e, em terceiro, ficou a Big Bang, do Sesi de Birigui (SP).

Com o resultado, as três poderão competir em torneios internacionais de robótica nos Estados Unidos, na Hungria ou na Estônia.

As outras sete equipes entre as dez mais bem colocadas também vão representar o Brasil no exterior: Red Rabbit (Sesi de Americana, SP), Robotics School (Sesi de Ourinhos, SP), Lego da Justiça Planalto (Sesi Planalto, GO), Fênix (Sesi de Bauru, SP), Gametech Canaã (Sesi Canaã, GO), Biotech (Sesi de Barra Bonita, SP) e Robocamb (Sesi de Maceió, AL). A Legofield e a Lego of Olympus, do Sesi-DF, ficaram com uma suplência cada uma.

Torneio de Robótica FLL

Esta edição foi a maior já realizada no Brasil. Foram 770 competidores – estudantes, mentores e técnicos – em 83 equipes de 20 estados e do Distrito Federal. A competição é uma iniciativa do grupo Lego, da Dinamarca, e da organização estadunidense First. O Sesi é o operador nacional da competição no Brasil desde 2013.

Galeria de Imagens

Veja mais fotos do encerramento do Torneio Nacional de Robótica.

Texto: Marcus Fogaça (com informações da Agência CNI)
Fotos: Cristina Gallo
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

BANNER OC

acordo de cooperacao beneficiarios 01