Simulados preparam alunos do Sesi-DF para entrar na universidade

luisa roquete foto moacir evangelistaLuísa Roquete Campos, de 18 anos, é apaixonada pelo universo das ciências exatas. Com o desejo de seguir a carreira de astrofísica, a ex-estudante da escola de Sobradinho do Serviço Social da Indústria (Sesi) iniciou, neste ano, o curso de licenciatura em Física, na Universidade de Brasília (UnB).

Luísa está entre os 50 alunos do Sesi do Distrito Federal aprovados em instituições públicas de Ensino Superior em 2018. A conquista da vaga na UnB se deu pelo Programa de Avaliação Seriada (PAS). Já com a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ela passou para a Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul.

Nas duas aprovações, ela acredita que os simulados aplicados pelo Sesi-DF tenham feito a diferença. “Meu tempo de estudo era pequeno; se não fossem os simulados, talvez eu não tivesse passado, porque não saberia o que estudar, em que tinha dificuldade e em que não tinha”, destaca a caloura, que cursou todo o Ensino Médio no Sesi Sobradinho.

Além dos simulados da própria Rede Sesi-DF, são aplicados simulados da Somos Educação, que é a base metodológica utilizada nas salas de aula das três escolas — Gama, Sobradinho e Taguatinga. Em abril e em agosto, alunos das três séries do Ensino Médio farão testes para verificar a preparação para o Enem, cujas provas estão marcadas para novembro. A pontuação dos simulados faz parte da nota do trimestre.

“A partir dos resultados, a equipe pedagógica e os professores repensam as práticas de sala de aula, visando à qualidade do ensino”, explica a coordenadora de Educação do Sesi-DF, Nubia Rosa.

Texto: Samira Pádua
Foto de capa: Cristiano Costa/Sistema Fibra – 9.9.2017
Foto interna: Moacir Evangelista/Sistema Fibra
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

Pesquisar

vira vida botao site

SESI Botao Sesi lazer e esporte 240x200px