Em seminário da Defensoria Pública, ex-alunas falam sobre o Vira Vida

23 05 2019 seminario da infancia e juventude vira vida foto victor hugo pessoaDuas egressas do Vira Vida no Distrito Federal tiveram a oportunidade de contar sobre suas experiências no programa ao público do Seminário da Infância e da Juventude – Prosa em Rede sobre Proteção Integral da Criança e do Adolescente. O Vira Vida, criado pelo Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria (Sesi) em 2008, promove a inserção socioprodutiva de adolescentes e jovens em situação de extrema vulnerabilidade social.

O seminário, que ocorreu em 22 e 23 de maio, no auditório da Câmara Legislativa, foi promovido pela Defensoria Pública do DF, em parceria com a Secretaria de Justiça e Cidadania, a Câmara Legislativa e a Associação dos Defensores Públicos do DF. A Federação das Indústrias do DF (Fibra) foi um dos apoiadores do evento.

A participação das duas ex-alunas do Vira Vida no seminário foi na tarde dessa quinta-feira (23). “É um projeto maravilhoso! Fiz cursos de qualificação profissional, tantos que eu nem consigo contar. Sou muito grata ao Vira Vida pelo que foi feito por mim e por, mesmo depois de ter acabado, eu continuar recebendo apoio, tendo com quem contar”, disse Carla*, de 17 anos. Ela participou da 12ª turma do Vira Vida no DF, que se formou no ano passado, e é jovem aprendiz de uma instituição financeira.

O depoimento dela foi seguido da fala de Paula*, de 23 anos, que também falou da mudança que o programa lhe proporcionou. “No Vira Vida, eu fui respeitada pelo que eu sou. Terminei meus estudos, tive formação profissional e creio que vou crescer mais ainda, porque teve alguém que acreditou em mim”, contou a moça, que se formou em 2009, na sétima turma.

A coordenadora do programa no DF, Cida Lima, participou do primeiro painel vespertino dessa quinta-feira, que tratou da prevenção ao suicídio e à autoflagelação de crianças e adolescentes. Também participaram da conversa integrantes dos governos local e federal, da Polícia Civil, do Conselho Tutelar do Lago Norte, da Defensoria Pública, da Universidade de Brasília e do Centro de Valorização da Vida (CVV).

“Para nós, foi um momento de reconhecimento do Vira Vida pela rede de proteção à criança e ao adolescente. Contribuímos para um mundo melhor e o mercado recebe cidadãos qualificados e seres humanos renovados”, disse Cida Lima após o painel. Desde 2009 no DF, o projeto formou em 12 turmas 670 alunos de 15 a 21 anos.

No Vira Vida, durante 16 meses os jovens frequentam aulas de educação básica e cursos de formação profissional e têm acompanhamento psicossocial, promoção de direitos de saúde, cultura, esporte e lazer. No fim desse período, são encaminhados para estágios e empregos.

*Nomes fictícios, em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente.

Veja aqui a galeria de imagens.

Texto: Samira Pádua
Fotos: Victor Hugo Pessoa/Sistema Fibra
Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra

Pesquisar

vira vida botao site

SESI Botao Sesi lazer e esporte 240x200px