Começam as provas da 45ª WorldSkills Competition

A delegação brasileira que participa da 45ª WorldSkills Competition está em Kazan, na Rússia, desde o início da semana. Por lá, os jovens já fizeram passeios turísticos por patrimônios mundiais, visitaram uma escola pública, participaram de uma grande cerimônia de abertura da competição e se ambientaram ao local de prova. Mais de 1,3 mil jovens de 63 países competem na WorldSkills. O Brasil tem uma das maiores delegações, com 63 participantes, alunos e ex-alunos de cursos de educação profissional, que vão competir em 56 modalidades no maior torneio de educação profissional do planeta.

Nesta sexta-feira, dia 23, os competidores começaram a executar as missões. A competição é dividida em provas diárias aplicadas até segunda-feira, 26. No dia 27, será a cerimônia de encerramento. O Distrito Federal é representado por três competidores: Lucas Maciel, de 21 anos, na ocupação de Funilaria; Luan Silva Braga, de 20 anos, competidor de Sistemas de Drywall e Estucagem; e João Victor dos Anjos, de 19 anos, disputando em Movelaria. O diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do DF (Senai-DF), Marco Secco, e a delegada técnica Eliséia Tavares acompanham os brasilienses.

Na quinta-feira, dia 22, um espetáculo de alta tecnologia, com luzes, música e dança, marcou o início oficial da competição. Com a presença do primeiro-ministro, Dmitry Medvedev, que declarou aberto o torneio, a Rússia demonstrou a importância da educação profissional em meio à quarta revolução industrial.

No show de abertura, os russos mostraram como a tecnologia pode ser usada para melhorar a qualidade de vida. Levaram ao palco pessoas com deficiência física que conseguiram dar passos graças a um exoesqueleto, estrutura que dá suporte aos músculos. Um robô humanoide no tamanho de uma pessoa adulta interagiu com anfitriões da festa. A cerimônia também teve a volta olímpica das delegações participantes. A equipe do Brasil foi a mais aplaudida – com a bandeira verde-amarela à frente, os brasileiros fizeram vibrar a plateia da Arena Kazan.

Durante a sua fala aos competidores, o presidente da WorldSkills, Simon Bartley, reforçou o papel transformador da educação profissional em um momento de incertezas políticas e econômicas ao redor do mundo. “Ter qualificação muda vidas, transforma sociedades e economias, assim como traz prosperidade e estabilidade”, defendeu.

A ambientação, etapa crucial do torneio, foi no dia 21. Foi o momento de conhecer os equipamentos e materiais, assim como as tarefas que devem ser cumpridas durante as provas. Os jovens analisaram softwares, computadores, impressoras, ferramentas e tudo que é utilizado durante as provas. Caso algo estivesse fora do padrão ou do idioma do competidor, este devia informar à organização para que fosse feita a correção.

worlskills russia passeio

A delegação brasileira está instalada na WorldSkills Village, com capacidade para mais de 5,5 mil pessoas. O espaço foi ocupado por jogadores de futebol na Copa do Mundo da Rússia, no ano passado. No dia 20, os competidores conheceram a deslumbrante arquitetura de Kazan, a 821 quilômetros de Moscou. A delegação visitou o Complexo Arquitetônico e Histórico do Kremlin de Kazan, Patrimônio Mundial da Humanidade, construído durante o reinado de Ivan, o Terrível, que governou a região de 1533 a 1547.

No jantar, os competidores receberam o incentivo do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, do diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, de parlamentares, conselheiros do Senai e representantes de sindicatos. “Tenho certeza de que vocês farão uma belíssima disputa e, independentemente do resultado, já são grandes campeões. Quem chegou aqui já é campeão”, disse o presidente da CNI.

Ele anunciou ainda que todos os participantes da delegação brasileira receberão bolsas para continuar os estudos em cursos de nível superior. Os medalhistas de ouro receberão R$ 3,5 mil cada um; aqueles que receberem prata terão bolsa de R$ 3 mil e os de bronze, de R$ 2,5 mil. Os competidores que obtiverem certificados de excelência terão R$ 2 mil e os demais, R$ 1,5 mil. Os treinadores dos medalhistas também receberão prêmios.

A competição

A cada dois anos, jovens de até 22 anos disputam medalhas de ouro, prata e bronze, assim como certificados de excelência, em provas que reproduzem o dia a dia das profissões. Cada ocupação tem provas específicas, nas quais os competidores precisam demonstrar habilidades individuais e coletivas para realizar provas que reproduzem o dia a dia do mercado de trabalho em padrões internacionais de qualidade.

Texto: Assessoria de Comunicação do Sistema Fibra, com informações da Agência CNI de Notícias
Foto: José Paulo Lacerda/CNI

Pesquisar

BOTAO SITE PARA OC

BANNER LATERAL IST

 Banner Unidades GAMA

Banner Unidades SOBRADINHO

Banner Unidades TAGUATINGA